A Vietti atinge a excelência em todos os vinhos que produz!

A história da azienda da família Vietti tem sua origem no século XIX. Mas, foi apenas no início do século XX que o nome Vietti batizou uma vinícola, uma marca e passou a comercializar vinhos engarrafados.

 

O patriarca Mario Vietti produziu no ano de 1919 os primeiros vinhos Vietti, vendidos quase que totalmente na Itália. Sua mais importante conquista foi transformar a pequena propriedade rural da família em uma empresa produtora de uvas e vinhos de alta qualidade.

 

A partir de 1952, Alfredo Currado (genro de Mario e marido de Luciana Vietti) deu continuidade ao legado deixado pelo sogro e a vinícola Vietti se tornou uma das melhores casas do Piemonte e uma das primeiras da região a exportar vinhos para o mercado americano.

 

Alfredo foi um pioneiro! Foi um dos primeiros a selecionar e vinificar uvas de vinhedos singulares, os “crus” piemonteses, tais como Brunate, Rocche e Villero. Alfredo também se tornou conhecido como o “pai da Arneis”, pois em 1967 investiu muito tempo e energia para redescobrir e entender essa variedade de uva branca piemontesa então já quase extinta. Atualmente, os vinhos de Arneis são os mais famosos brancos da área de Roero, ao norte de Barolo.

 

Em 1970, Alfredo e Luciana, por meio de suas amizades e apoio a artistas locais, deram início a renovação dos rótulos de seus vinhos. De fato, contam que foi numa longa tarde de inverno, comendo e bebendo na companhia de um grupo de artistas, que um deles sugeriu “embalar a arte que os Vietti produziam na adega com arte nos rótulos”. Naquele momento os novos rótulos dos vinhos Vietti começaram a tomar a lindíssima forma que até hoje exibem.

 

Os Currados-Vietti tiveram três filhos, Emanuela, Elisabetta e Luca. Em 1990, Luca, após experiências em Bordeaux e na Califórnia, deu início à sua carreira como enólogo e hoje é o responsável pela gestão dos vinhedos da Vietti e pela produção dos vinhos que carregam o nome de sua família.

 

Os vinhos dos Vietti estão, sem dúvida, entre os melhores do Piemonte e de toda a Itália. São joias produzidas em pequena escala e com enorme carinho, adoradas pelos consumidores e elogiadas pelos especialistas.

 

“Se forçada a viver em uma ilha deserta, onde só seriam servidos vinhos se um único produtor, eu iria querer que Vietti fosse tal produtor. Eles atingem a excelência em todos os vinhos que produzem…” (Monica Larner, Wine Advocate #207, Jun-2013).

 

www.vietti.com

 

O que nós Importamos
  • Vietti Barolo Rocche DOCG
    Gerado com uvas selecionadas de vinhedos localizados no vilarejo de Rocche di Castiglione (na zona de Barolo), cujas vides têm cerca de 47 anos, o “Rocche” é, portanto, um Barolo produzido com uvas de uma única vila que possui um terroir especial. Esse fantástico Barolo é feito em pequenas quantidades (cerca de 4 mil garrafas por safra) e de maneira artesanal. Absolutamente delicioso, o “Rocche” de Vietti é um vinho sempre memorável!
    Ficha Técnica
  • Vietti Barbaresco Masseria DOCG
    Gerado com uvas selecionadas do vinhedo Masseria localizado no vilarejo de Neive (na zona de Barbaresco), cujas vides têm cerca de 41 anos, o “Masseria” é, portanto, um Babaresco produzido com uvas de um único vinhedo que possui um terroir especial. Esse verdadeiro cru de Barbaresco é feito em pequenas quantidades (cerca de 4 mil garrafas por safra) e de maneira artesanal. O “Masseria” de Vietti é um Barbaresco elegantíssimo e longevo!
    Ficha Técnica
  • Vietti Barbera D’Alba Scarrone DOC
    Produzido com uvas do vinhedo Scarrone, situado na zona de Alba (em Castiglione Falletto), cujas vides têm cerca de 26 anos, o “Scarrone” de Vietti é um Barbera de cru, de altíssima qualidade e produzido artesanalmente em pequena escala (cerca de 11 mil garrafas por safra).
    Ficha Técnica
  • Vietti Barolo Castiglione DOCG
    Gerado com uvas de vinhedos da zona de Barolo (Castiglione Falletto, Monforte, Barolo e Novello), cujas vides têm cerca de 35 anos, o “Castiglione” é o Barolo, digamos, “de entrada” de Vietti, ou seja, é o que eles fazem em maior volume (apenas cerca de 50 mil garrafas ano). Absolutamente delicioso, o Barolo “simples” de Vietti tem a qualidade de topos de gama de muitos produtores de Barolo. Ora, assim são os Vietti: craques em Barolo e em tudo que fazem!
    Ficha Técnica
  • Vietti Nebbiolo Perbacco DOC
    Gerado com uvas de vinhedos da zona de Barolo (Bricco Boschis, Liste, Brunella, Rocchettevino, Pernanno, Ravera di Monforte e Scarrone), cujas vides têm cerca de 35 anos, o Nebbiolo “Perbacco” é produzido pelas mesmas técnicas do Barolo “Castiglione” de Vietti, mas resulta da seleção de vinhedos e vinhos que apresentam elegância precoce e não necessitam de longa guarda para serem bebidos.
    Ficha Técnica
  • Vietti Barbera D’Alba Tre Vigne DOC
    Produzido com uvas de três vinhedos da zona de Alba (situados em Monforte, Castiglione Falletto, e Castiglione Tinella), cujas vides têm cerca de 40 anos, o Barbera d’Alba “Tre Vigne” de Vietti é um tinto para a mesa, vibrante e perfeito com carnes e massas em molhos escuros.
    Ficha Técnica
  • Vietti Dolcetto d’Alba “Tre Vigne DOC
    Produzido com uvas de três vinhedos da zona de Alba, o Dolcetto d’Alba de Vietti é um tinto encantador, cheio de frutas, com médio-corpo, acidez justa e textura muito macia. Por essas características, é um vinho super gastronômico e perfeito com massas em molhos vermelhos.
    Ficha Técnica
  • Vietti Roero Arneis DOCG
    Produzido com uvas de vinhas de 25 anos, o Roero Arneis de Vietti é um típico branco com identidade piemontesa, elegante, floral, cítrico e com um frescor vibrante. Alfredo Vietti foi quem salvou a uva Arneis da extinção. A beleza desse vinho lhe rende uma homenagem.
    Ficha Técnica
  • Vietti Moscato d’Asti “Cascinetta” DOCG
    Produzido com uvas de vinhas de 40 anos, o Moscato d’Asti de Vietti é especial, um dos melhores dessa denominação. A idade dos vinhedos combinada ao terroir perfeito para essa cepa e ao criterioso cuidado com a vinhas, geram uvas e um vinho de qualidade ímpar.
    Ficha Técnica